Jack e o Repelente

Jack e o Repelente

Só para recapitular, o Jack chegou lá em casa no dia 17 de agosto de 2010, bem tarde da noite!

Neste dia, recebemos muitas recomendações do veterinário, Marlos (do Canil Vale do Aço) e do casal dono da mãe do Jackinho. Uma das dicas era usar um repelente nos pés dos móveis para evitar que ele os roesse ou fizesse as necessidades neles.

No dia seguinte, compramos o Premium Repell Pet e aplicamos em todos os móveis. Genteee, o cheiro não é forte, mas se vocês levarem em consideração que borrifamos em todos os móveis, a casa tinha cheiro de repelente!

Repelente que o Jackinho nem tchum!

Repelente que o Jackinho nem tchum!

 

Nós quase morríamos, ambos alérgicos (Renato e eu). Imaginem como ficávamos: olhos vermelhos, nariz também e funga-funga! Um horror! E vocês acreditam que o Jack se aproximava do local que tinha repelente, cheirava, lambia e saía com cara de “nada me atinge”? Danadeeenho!!!!

"Repelente? Não tô nem aí!"

“Repelente? Não tô nem aí!”

 

Mesmo com crise alérgica, posso falar para vocês que o repelente resolveu muito!

E vocês, tiveram experiência parecida com o pet de vocês? Contem para mim!





About the author

Zaida Campbell Albuquerque
Zaida Campbell Albuquerque

Oi! Eu sou a Zaida Campbell Albuquerque, carioca, quarentinha e apaixonada por fotografia. Sou contadora, mas nunca trabalhei na área. Porém, adoro contar histórias! Meu negócio é administrar a bagunça! Aqui será o espaço em que dividirei com vocês o que gosto e o que não gosto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *