Sambas Enredos Cariocas – Top 7!

Sambas Enredos Cariocas – Top 7!

Oi genteee, tudo bem? Tem alguém animado pro Carnaval 2017 aí? O post de hoje fala sobre sambas enredos dos carnavais cariocas. Preparados?

Mini-flashback Carnaval

Quando nasci morava na Abolição, bairro da Zona Norte do Rio que tem um carnaval pra lá de animado. E vocês acreditam que nasci em fevereiro? Pois é, “em fevereiro, tem carnaval”. E fui uma foliã animadíssima dos meus 0 aos 23 anos de idade.

Não deixei o carnaval de lado nem quando morei em São Paulo (naquela época, final dos anos 70 início dos 80, SP não tinha um carnaval forte como tem hoje), mas fazia meu pai me levar nas matinês.

Depois, na adolescência, pedia pro meu pai de presente de aniversário as 5 noites do carnaval do Campestre de Araruama. Durante o dia, ia em bloquinhos na cidade e a noite, Campestre!

Posso dizer que me acabei! Aproveitei muito, mas agora me cansei!

O Renato já não curte muito carnaval, mas gosta de alguns sambas enredo. Por isso, separamos os top 7 dos sambas enredos carioca. E, ó, colocamos em ordem cronológica porque temos divergências nas posições que cada samba ocupa. Vamos lá?

Top 7 dos Sambas Enredos Cariocas

1 – A Lenda das Sereias, Rainha do Mar, Império Serrano, 1976: este é um dos sambas enredos muito lindo. Sambei muito nos carnavais. Já o Renato, conheceu este samba através da regravação feita pela Marisa Monte. Dá uma olhada nas duas versões:

A versão da Marisa Monte é esta:

2 – Contos de Areia, Portela, 1984: adoramos, por isso está entre os sambas enredos preferidos!

 

  1. Festa Profana, União da Ilha do Governador, 1989

Aqui temos uma divergência que é a seguinte: eu como boa carioca sei que todo carioca tem seu time de coração, mas que tem um caso de amor com o América. O mesmo acontece com as escolas de samba: todo carioca tem a sua escola de coração, mas uma simpatia enorme pela União da Ilha do Governador. Renato acha que tudo isto é lenda!

Quando pula carnaval no Campestre de Araruama, a bateria que tocava lá era da União da Ilha e simplesmente me apaixonei pela escola!

E este samba é querido tanto pelo Renato quanto por mim! <3

4 – Vira, virou, a Mocidade Chegou, Mocidade Independente de Padre Miguel, 1990

5 – Me Masso se Não Passo pela Rua do Ouvidor, Salgueiro, 1991

Salgueiro, minha escola de coração, e do Renato também, fez este samba  enredo em homenagem à Rua do Ouvidor no centro do Rio de Janeiro. Além de bonito, ele conta um pouco da história da influência francesa por aqui.

6 – Peguei um Ita no Norte, Salgueiro, 1993

Me lembro que estava assistindo de casa ao Salgueiro e que me emocionei muito porque em  toda arquibancada, frisa e camarote, ninguém ficou parado. A gente via o povo vibrando e no final “é campeão!”. E o Salgueiro ganhou!

E para variar peguei esta versão do Monobloco que eu amo:

7 –Atrás da Verde e Rosa só não vai quem já Morreu, Mangueira, 1994

Linda homenagem que a Mangueira fez a Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa e Maria Bethânia, os Doces Bárbaros.

E aí gostaram? Então me contem o Top 7 de sambas enredos de vocês!

Muah!





About the author

Zaida Campbell Albuquerque
Zaida Campbell Albuquerque

Oi! Eu sou a Zaida Campbell Albuquerque, carioca, quarentinha e apaixonada por fotografia. Sou contadora, mas nunca trabalhei na área. Porém, adoro contar histórias! Meu negócio é administrar a bagunça! Aqui será o espaço em que dividirei com vocês o que gosto e o que não gosto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *